Curso de Graduação em
Física

Oportunidades Acadêmicas

No seu ingresso no curso de física, o estudante já conta com o Programa Jovens Talentos, que beneficia os candidatos aprovados com uma bolsa de estudos e um estágio de 8 horas semanais em atividades relacionadas a uma das áreas de pesquisa do departamento.

Durante o primeiro semestre, seminários sobre as atividades de pesquisa desenvolvidas no departamento são apresentados à turma de calouros em física e, a partir do segundo semestre, a maioria dos estudantes do curso busca participar dos Programas de Iniciação Científica financiados pelo Conselho Nacional de Pesquisa (CNPq), pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG) e Fundação Arthur Bernardes (FUNARBE), entre outras agências financiadoras ou se engaja em uma iniciação científica voluntária.

Os estudantes são também incentivados a participar de estágios de curta duração em outras instituições como aqueles oferecidos pelo Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), vinculado ao Laboratório Nacional de Luz Síncroton (LNLS).

Os alunos de licenciatura ainda contam com possibilidade em participação no Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID), oferecidos pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) que é uma iniciativa para o aperfeiçoamento e a valorização da formação de professores para a educação básica.

O programa concede bolsas a alunos de licenciatura participantes de projetos de iniciação à docência desenvolvida por Instituições de Educação Superior (IES) em parceria com escolas de educação básica da rede pública de ensino. Os projetos devem promover a inserção dos estudantes no contexto das escolas públicas desde o início da sua formação acadêmica para que desenvolvam atividades didático-pedagógicas, sob orientação de um docente da licenciatura e de um professor da escola.

Aos alunos do curso de graduação em física da UFV que tenham preferencialmente sido agraciados com prêmios em olimpíadas científicas no país ou exterior ou ter tido ou estar usufruindo de bolsa de iniciação científica ou tecnológica do CNPq (PIBIC/PIBITI) ou do PIBID da CAPES e que tenham concluído no mínimo 20% e no máximo 90% do currículo previsto para o curso de graduação, será dada a oportunidade de participação no programa Ciência sem Fronteiras do governo federal que agracia os estudantes com mensalidade de bolsa, auxílio-Instalação, auxílio material didático, passagens aéreas e seguro saúde para que o estudante desenvolva um ano do seu curso de graduação em instituições renomadas do exterior.

Mesmo aqueles poucos estudantes que não se engajaram em um estágio de iniciação científica serão levados a vivências similares a de um estágio de iniciação científica quando matricularem-se nas disciplinas obrigatórias FIS399 – Projeto Orientado e FIS497 – Monografia e Seminários. Estas disciplinas de 60 e 90 horas, respectivamente, visam, através do desenvolvimento de um projeto de pesquisa de fim de curso orientado por um professor, instrumentalizar os alunos em técnicas modernas de acesso à informação científica, aprendizado de procedimentos científicos e técnicas de diferentes tipos. O projeto poderá ser tanto baseado em uma pesquisa teórica como experimental. Podem ser considerados para esta disciplina os trabalhos desenvolvidos no âmbito dos projetos de iniciação científica ou de iniciação à docência, no caso de estudantes do curso de Física – Licenciatura.

SAIBA MAIS SOBRE A UFV

Equipe de Desenvolvimento Web/UFV - 2013 - Mantido com Wordpress